I Encontro Goiano de Adolescentes pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil é realizado no MPT-GO

Estiveram presentes representantes e alunos de escolas municipais do Estado de Goiás

O Comitê Nacional de Adolescentes e Jovens na Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Conapeti) realizou ontem (14) o I Encontro Goiano de Adolescentes pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil na sede do Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO). O objetivo do evento foi mobilizar jovens de idade entre onze e quatorze anos pela luta contra o trabalho infantil e incentivar a participação nos espaços de deliberação de políticas públicas relacionadas aos seus direitos.

Estiveram presentes representantes das Escolas Municipais Cora Coralina, Professor Trajano de Guimarães, Leopoldo Moreira e Antônio Lopes Fonte Boa, além de representante da Secretaria Municipal de Educação de Cachoeira Dourada. Na abertura do encontro, o procurador do Trabalho do MPT-GO, Antônio Carlos Cavalcante, lembrou a importância da infância e adolescência para o desenvolvimento das pessoas. “É um período de experiências e descobertas fundamental para qualquer ser humano e ninguém deve ter o direito a essas vivências negado”, sintetizou.

As atividades foram conduzidas pelo secretário executivo do Conapeti e procurador do Trabalho no MPT do Ceará, Antonio de Oliveira. Segundo ele, o movimento de conscientização e luta contra o trabalho infantil deve ser feito conjuntamente em nível nacional, regional, estadual e municipal. “Os adolescentes, principais vítimas do trabalho precoce, são prejudicados com a inserção inadequada no mercado porque isso além de aumentar a evasão escolar faz com que a qualificação profissional deles seja comprometida”, afirmou Oliveira.

Quem participou do Encontro aprovou a iniciativa. A estudante da Escola Municipal Cora Coralina (em São Simão, no interior de Goiás) Hingridy Silva acredita que ela e os colegas puderam entender de forma mais clara os efeitos negativos que o trabalho infantil provoca. “Foi um momento de muito aprendizado. Vou levar o conhecimento que adquiri hoje para as pessoas que mente fechada na minha cidade e ainda acreditam que é melhor trabalhar do que estudar”.

Por parte dos professores e orientadores, a diretora da Escola Municipal Professor Trajano de Guimarães, Romilda Júlia Maia, defendeu a discussão da Lei da Aprendizagem e do combate ao trabalho infantil com os jovens da instituição onde trabalha. "O momento é oportuno porque eles estão na fase de querer começar a trabalhar, mas é necessário que eles vejam que o estudo é fundamental para que consigam ocupar boas vagas no mercado de trabalho no futuro". Além disso, a representante da Secretaria Municipal de Educação de Cachoeira Dourada, Maria Rita Carvalho, declarou que pretende começar o trabalho de conscientização com as crianças mais novas das Escolas Municipais.

Encontros como este promovido no MPT-GO são importantes porque, como explica o secretário executivo do Conapeti, a elaboração de políticas públicas para prevenção e erradicação do trabalho infantil deve passar pelos principais interessados, que são justamente as crianças e adolescentes.

O Conapeti

Criado em setembro de 2017 por ocasião do I Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Enapeti), o Conapeti é um coletivo formado por adolescentes e jovens de todas as unidades da Federação e tem como objetivos estratégicos mobilizar adolescentes e jovens de todo o Brasil pela prevenção e erradicação do trabalho infantil e pela efetivação do direito à participação nos espaços de deliberação de políticas públicas relacionadas aos seus direitos.

A mobilização de adolescentes e jovens pela prevenção e erradicação do trabalho infantil teve início no Ceará, em março de 2016, com a realização do I Encontro Cearense de Adolescente e Jovens pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Ecapeti), ocasião em que foi criado o Comitê Estadual de Adolescentes e Jovens pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil no Ceará (Ceapeti-CE).

Além do Ceará, os Estados do Maranhão, Pará, São Paulo e Piauí já possuem seus próprios Ceapeti. A meta agora é avançar na criação dos comitês estaduais (Ceapeti) e municipais (Comapeti).

 

Imprimir